sábado, 15 de maio de 2010

"Se Lula é o pai da nova classe média, FHC é o avô."

PT SUBESTIMOU PAPEL DE FHC, DIZ PESQUISADOR
Daniel Bramatti, de O Estado de S.Paulo

O pesquisador Marcelo Neri contesta a afirmação do programa do PT, exibido anteontem à noite, de que a ascensão social foi "insignificante" no governo Fernando Henrique Cardoso. O programa afirmou ainda que, na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva, 31 milhões de brasileiros entraram na classe média e 24 milhões saíram da pobreza absoluta.

"De 1993 a 2002, 9,1% da população ascendeu socialmente, De 2003 a 2008, o índice foi de 14,6%", disse Neri, chefe do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas e coordenador do estudo A Pequena Grande Década: Crise, Cenários e a Nova Classe Média, que retrata as recentes transformações sociais.

"É verdade que houve mais ascensão social no governo Lula, mas eu não chamaria de insignificante o que aconteceu na gestão anterior", afirmou o pesquisador. "Se Lula é o pai da nova classe média, FHC é o avô."

Apesar de o governo tucano ter começado em 1995, Neri prefere incluir o período imediatamente anterior na comparação entre as duas "eras" porque FHC era o ministro da Fazenda quando o Plano Real foi lançado, em 1994. Além disso, há um "vácuo" estatístico referente àquele ano, quando, por falta de recursos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística não realizou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). 

2 comentários:

  1. Nielsen O. Macambira Braga17 de maio de 2010 07:59

    Por que temos celulares em todas as camadas sociais e uma inifinidade de operadoras e serviços? Por que o cartão crédito popularizou-se entre a classe média? Por que enfim temos uma moeda estável que nem mesmo as quebras de bolsas asiáticas e norte-americanas conseguem mover sequer um item da cesta básica? Tudo isso começou e se consolidou com FHC... O Sr. Luiz Inácio pegou 'carona' no sucesso do outro e criou, ao sabor popular, mais alguns programas sociais além dos que FHC iniciou com dona Ruth Cardoso, eis a maior esperteza de Lula: dar roupagem nova a algo que outros já tinham desenvolvido.

    ResponderExcluir
  2. Resta saber o que Lula e sua corja definem como "crasse média", como ele diz. Tem "crasse média" que acha que é rico e pobretão que acha que é classe média, tem paupérrimo que acha que é somente pobre e desgraçado que gostaria de ser somente paupérrimo. O Brasil é um país de contrastes!

    ResponderExcluir